O Segredo de La Salette

Na manhã de 19 de Setembro de 1846, a pastorinha Melanie Calvat, de 14 anos, conduzia as vacas do seu patrão para pastar nos morros de La Salette, na região de Grenoble, França. Um menino de 11 anos, que ela não conhecia, insistiu em acompanhá-la. Era Maximino Giraud, também ele Pastorinho a serviço de um vizinho. Melanie aceitou. Nenhum dos dois podia imaginar o evento sobrenatural que haveriam de testemunhar naquele dia providencial. Melanie gostava da solidão, do silêncio e da oração. Ela começou a fazer um ‘paraíso’, isto é, uma casinha de pedras toda recoberta com maços de flores silvestres. Após muito trabalho nessa construção, os dois tiveram fome e sono. Comeram um frugal lanche, deitaram na relva e dormiram.
Quando acordaram, tiveram uma surpresa: uma luz mais brilhante que sol pousava sobre o ‘paraíso’ que haviam construído. Maximimo empunhou seu bordão e garantiu a Melanie que, se a luz fosse má, ele a defenderia. Aproximaram-se do fulcro luminoso.  No cerne dele havia uma outra luz ainda mais brilhante, que se movia. Era uma Senhora coroada de flores. Sentada sobre o ‘paraíso’, a Senhora chorava com o rosto nas mãos. Era a Santíssima Virgem, hoje conhecida sob a invocação de Nossa Senhora de La Salette. Olhando para as crianças, levantou-se e disse: Vinde meus filhos, não tenhais medo, estou aqui para vos trazer uma grande comunicação.”
Comunicou-lhe então uma Mensagem a ser divulgada e um segredo para ser revelado em 1958, ano em que Nossa Senhora apareceria em Lourdes (na França também, para a Vidente Bernadete Soubirous):
(...) “Se Meu povo não quer submeter-se, sou forçada a deixar cair o braço de Meu Filho. É tão forte e tão pesado que não o posso mais suster. Há quanto tempo sofro por vós! Dei-vos seis dias para trabalhar, reservei-me o sétimo, e não mo querem conceder! É isso que torna tão pesado o braço de Meu Filho.            E também os carroceiros não sabem jurar sem usar o Nome de Meu Filho. São essas as duas coisas que tornam tão pesado o braço de Meu Filho. Se a colheita se estraga, e só por vossa causa. Eu vo-lo mostrei no ano passado com as batatinhas: e vós nem fizestes caso! Ao contrário, quando encontráveis batatinhas estragadas, juráveis usando o Nome de Meu Filho. Elas continuarão assim, e neste ano, para o Natal, não haverá mais...”
Eis o texto do segredo:
“Melanie, aquilo que vos vou dizer agora, não será sempre segredo; podereis publicá-lo em 1858. 

Os sacerdotes, ministros de meu Filho, os sacerdotes pela sua má vida, pelas suas irreverências e impiedade ao celebrar os Santos Mistérios, por amor ao dinheiro, amor à honra e aos prazeres, os sacerdotes tornaram-se cloacas de impureza. Sim, os sacerdotes pedem vingança e a vingança está suspensa sobre as suas cabeças. Ai dos sacerdotes e das pessoas consagradas a Deus que, pelas suas infidelidades e a sua má vida, crucificam de novo o meu Filho! Os pecados das pessoas consagradas a Deus bradam aos Céus e chamam a vingança, e eis que a vingança está à sua porta, porque não mais há ninguém que implore misericórdia e perdão para o povo; não mais há almas generosas, não mais há ninguém digno de oferecer a Vítima sem mancha ao Eterno em favor do mundo.
Deus vai castigar duma forma sem comparação. Ai dos habitantes da terra! Deus vai esgotar a sua cólera e ninguém poderá subtrair-se a tantos males reunidos. Os chefes, os que conduzem o povo de Deus descuraram a oração e a penitência, e o demônio obscureceu suas inteligências; tornaram-se essas estrelas errantes que o velho diabo varrerá com a cauda par que pereçam. Deus permitirá que a velha serpente realize a divisões  entre os que reinam em todas as sociedades e em todas as famílias; sofrerão de males físicos e morais. Deus abandonará os homens a si mesmos e enviará castigos que se sucederão durante mais de 35 anos. A sociedade está nas vésperas dos mais terríveis flagelos e dos maiores acontecimentos; serão governados por uma vara de ferro e beberão o cálice da cólera divina. Que o Vigário de meu Filho, o Soberano Pontífice Pio IX, não saia mais de Roma depois de 1859. Mas, seja firme e generoso, combata com as armas da fé e do amor. Eu estarei com ele. Que ele desconfie de Napoleão, o seu coração é duplo, e quando quiser ser ao mesmo tempo imperador e papa, em breve Deus o abandonará; ele é essa águia que, querendo sempre elevar-se, cairá sobre a espada de que queria servir-se para obrigar os povos a elevá-lo.
A Itália será castigada pela sua ambição, ao querer abandonar o jugo do Senhor; assim, será entregue à guerra; o sangue correrá de todos os lados; as igrejas serão fechadas ou profanadas, os sacerdotes, os religiosos serão expulsos; hão-de matá-los e de morte cruel. Muitos abandonarão a fé, e o número de sacerdotes e de religiosos que se separarão da verdadeira religião será grande; entre essas pessoas encontrar-se-ão até bispos. Que o Papa se acautele com os fazedores de milagres, porque chegou o tempo em que os prodígios mais espantosos acontecerão na terra e no ar.
No ano 1864, Lúcifer com um grande número de demônios serão destacados do inferno. Abolirão a fé pouco a pouco e até nas pessoas consagradas a Deus. Hão-de cegá-las de tal forma, que a menos duma graça particular, essas pessoas tomarão o espírito desses maus anjos. Várias casas religiosas perderão a fé por completo e muitas almas se perderão. Os maus livros abundarão na terra e os espíritos das trevas espalharão por toda a parte um afrouxamento universal em tudo o que toca ao serviço de Deus. Terão um poder muito grande sobre a natureza; haverá igrejas para servir esses espíritos. Pessoas serão transportadas de um lugar a outro por estes espíritos maus, e mesmo sacerdotes, porque não são conduzidos pelo bom espírito do Evangelho, que é um espírito de humildade, de caridade e de zelo pela glória de Deus. Farão com mortos e justos ressuscitem (quer dizer, que estes mortos tomarão a imagem das almas dos justos que viveram sobre a terra, a fim de melhor seduzir os homens; estes supostos mortos ressuscitados, que não serão outra coisa senão o demônio sob estas imagens, pregarão um outro Evangelho, contrário ao do verdadeiro Jesus Cristo, negando a existência do Céu), ou ainda a alma dos condenados. Todas estas almas parecerão como que unidas aos seus corpos. Haverá por toda a parte prodígios extraordinários, porque se extinguiu a verdadeira fé e que a falsa luz ilumina o mundo.  Ai dos Príncipes da Igreja, que não farão senão acumular riquezas sobre riquezas, salvaguardar a sua autoridade e pregar com orgulho!
O Vigário de meu Filho terá muito que sofrer, porque, durante um tempo, a Igreja será entregue a grandes perseguições; será este o tempo das trevas; a Igreja sofrerá uma crise terrível. Esquecida a santa Fé de Deus, cada um quererá guiar-se por si próprio e ser superior ao seu semelhante. Os poderes civis e eclesiásticos serão abolidos, toda a ordem e justiça serão espezinhadas; não se verá senão homicídios, ódio, inveja, mentira e discórdia, sem amor pela pátria nem pela família. O Santo Padre sofrerá muito. Estarei com ele até ao fim para receber o seu sacrifício. Os maus atentarão várias vezes contra a sua vida sem poder acabar-lhe com os dias, mas nem ele nem o seu sucessor verão o triunfo da Igreja de Deus. Os governos civis terão todos o mesmo desígnio que será o de abolir e fazer desaparecer todo o princípio religioso, para dar lugar ao materialismo, ao ateísmo, ao espiritismo e toda a espécie de vícios.
No ano de 1865, ver-se-á a abominação dos lugares santos; nos conventos, as flores da Igreja ficarão apodrecidas e o demônio será o rei dos corações. Que aqueles que estão à cabeça de comunidades religiosas tomem cuidado quanto às pessoas que recebem, porque o demônio usará de toda a sua malícia para introduzir nas ordens religiosas pessoas dadas ao pecado, porque as desordens e o amor dos prazeres carnais estarão espalhados por toda a terra. A França, a Itália, a Espanha e a Inglaterra entrarão em guerra. O sangue correrá nas ruas. O Francês combaterá o Francês, o Italiano, o Italiano; depois haverá uma guerra (civil) geral que será terrível. Durante um tempo, Deus não mais se lembrará da França, nem da Itália, porque o Evangelho de Jesus Cristo não mais é conhecido. Os maus empregarão toda a sua malícia; hão-de matar-se, hão-de massacrarem-se uns aos outros, mesmo nas casas.
Ao primeiro golpe da sua espada fulminante, as montanhas e a natureza toda tremerão de pavor, porque as desordens e os crimes dos homens atravessam a abóbada dos céus. Paris será queimada e Marselha submersa; várias grandes cidades serão abaladas e enterradas por tremores de terra; hão-de acreditar que tudo está perdido; não se verá senão homicídios, não se ouvirá senão o ruído de armas e blasfémias.
Os justos sofrerão muito. As suas orações, a sua penitência e as suas lágrimas subirão até ao Céu. E todo o povo de Deus pedirá perdão e misericórdia, e pedirá o meu auxílio e a minha intercessão. Então, Jesus Cristo, por um ato da sua justiça e da sua grande misericórdia para com os justos, mandará os seus anjos dar a morte a todos os seus inimigos. De repente, os perseguidores da Igreja de Jesus Cristo e todos os homens dados ao pecado, perecerão, e a terra ficará como um deserto.
Então a paz se fará, a reconciliação de Deus com os homens; Jesus Cristo será servido, adorado e glorificado; a caridade florescerá por toda a parte. Os novos reis serão o braço direito da Santa Igreja que será forte, humilde, piedosa, pobre, zelosa e imitadora das virtudes de Jesus Cristo. O Evangelho será pregado por toda a parte, e os homens farão grandes progressos na fé, porque haverá unidade entre os trabalhadores de Jesus Cristo e os homens viverão no temor de Deus. Esta paz entre os homens não será longa; vinte cinco anos de abundantes colheitas farão com que se esqueçam que os pecados dos homens são a causa de todos os sofrimentos que acontecem na terra. Um percursor do Anticristo, com as tropas de várias nações, combaterá contra o verdadeiro Cristo, o Salvador do mundo; derramará muito sangue e procurará anular o culto de Deus para se fazer olhar como um deus.
               A terra será atingida por toda a espécie de pragas (além da peste e da fome, que serão gerais); haverá guerras até à última guerra que será então feita pelos dez reis do Anticristo, reis que terão todos os mesmo desígnio e serão os únicos que governarão o mundo. Antes dito acontecer, haverá uma falsa paz no mundo; não se pensará senão em divertir-se; os maus entregar-se-ão a toda a espécie de pecados, mas os filhos da Santa Igreja, os filhos da fé, os meus verdadeiros imitadores crescerão no amor de Deus e nas virtudes que me são mais caras. Felizes as almas humildes, conduzidas pelo Espírito Santo! Combaterei com elas até que alcancem a plenitude da idade.
A natureza pede vingança para os homens e estremece de terror na expectativa do que deve acontecer à terra manchada de crimes. Tremei, terra, e vós que fizestes profissão de servir Jesus Cristo e que, por dentro, vos adorais a vós mesmos; tremei, porque Deus vai entregar-vos ao seu inimigo, porque os lugares santos estão na corrupção; muitas conventos não mais são as casas de Deus, mas pastagens de Asmodeu e dos seus. Será durante esse tempo que nascerá o Anticristo, duma religiosa hebraica, duma falsa virgem que terá comunicação com a velha serpente, a mestra da impureza; o pai será um bispo. Ai nascer vomitará blasfémias, terá dentes, numa palavra, será o diabo incarnado; dará gritos assustadores, fará prodígios, alimentar-se-á apenas de impurezas. Terá irmãos que, embora não sejam como ele demônios incarnados, serão filhos do mal; aos doze anos, tornar-se-ão notórios pelas suas valorosas vitórias que alcançarão. Rapidamente estará cada um à frente dos exércitos, assistidos pelas legiões do inferno.
As estação serão alteradas, a terra só produzirá maus frutos, os astros perderão os seus movimentos regulares, a lua não refletirá senão uma fraca luz avermelhada, a água e o fogo darão ao globo da terra movimentos convulsivos e horríveis terramotos que engolirão as montanhas, as cidades, etc. Roma perderá a fé e será a sede do Anticristo.
Os demônios do ar com o Anticristo farão grandes prodígios na terra e nos ares, e os homens hão-de perverter-se cada vez mais. Deus cuidará dos seus fiéis servidores e dos homens de boa vontade: O Evangelho será pregado em toda a a parte. Todos os povos e todas as nações terão conhecimento da verdade!  Dirijo um apelo urgente à terra. Chamo os verdadeiros discípulos do Deus vivo e que reina nos Céus. Chamo os verdadeiros imitadores de Cristo feito homem, o único e verdadeiro Salvador dos homens. Chamo os meus filhos, os meus verdadeiros devotos, os que se deram a mim para que os conduza ao meu divino Filho, aqueles que, por assim dizer, tomo nos meus braços, aqueles que viveram do meu espírito. Finalmente, chamo os Apóstolos dos últimos tempos, os fiéis discípulos de Jesus Cristo que viveram no desprezo do mundo e deles próprios, na pobreza e na humildade, no desprezo e no silêncio, na oração e na mortificação, na castidade e na união com Deus, no sofrimento e desconhecidos do mundo. É tempo de saírem e virem iluminar a terra. Ide e mostrai-vos como meus filhos queridos. Estarei convosco, em vós, desde que a vossa fé seja a luz que vos ilumine nesses dias de desgraça. Que o vosso zelo vos torne como sedentos da glória e da honra de Jesus Cristo. Combatei, filhos da luz, vós pequeno número que vedes claro, porque eis o tempo dos tempos, o fim dos fins.
 A Igreja será eclipsada, o mundo ficará consternado. Mas eis Enoque e Elias cheios do Espírito de Deus. Pregarão com a força de Deus e os homens de boa vontade acreditarão em Deus, e muitas almas serão consoladas. Elas farão grandes progressos pela virtude do Espírito Santo e condenarão os erros diabólicos do Anticristo. Ai dos habitantes da terra! Haverá guerras sangrentas e fomes, pestes e doenças contagiosas. Haverá chuvas com granizos assustadores, trovões que abalarão cidades, tremores de terra que engolirão países. Ouvir-se-ão vozes nos ares, os homens baterão com a cabeça nas paredes, chamarão pela morte e, por outro lado, a morte será o seu suplício, o sangu e escorrerá por todos os lados. Quem poderá vencer se Deus não abrevia o tempo da provação? Pelo sangue, as lágrimas e as orações dos justos, Deus se deixará comover. Enoque e Elias serão mortos. Roma pagã desaparecerá. O fogo do Céu cairá e consumirá três cidades. Todo o universo será atingido pelo terror e muitos se deixarão seduzir porque não adoraram o verdadeiro Cristo vivo no meio deles. É tempo, o sol obscurece-se, só a fé viverá.
Eis o tempo, abre-se o abismo. Eis o rei dos reis das trevas. Eis a besta com os seus seguidores, dizendo-se salvadora do mundo. Elevar-se-á com orgulho nos ares para ir até ao Céu. Ficará sufocada pelo sopro de S. Miguel Arcanjo. Cairá e a terra que, desde há três dias estará em contínua evolução, abrirá o seu seio cheio de fogo e ele será aí mergulhado para sempre com todos os seus nos abismos eternos do inferno. Então, a água e o fogo purificarão a terra e consumirão todas as obras do orgulho do homem, e tudo será renovado: Deus será servido e glorificado.”
Depois, a Senhora desapareceu. Os pastorinhos passaram então a divulgar a Mensagem de Nossa Senhora, mesmo sendo caluniados e perseguidos pelos membros da Igreja e da Sociedade. Até hoje, as imagens do local da Aparição, a Fonte Milagrosa e a basílica de La Salette são a meta de romarias de peregrinos do mundo inteiro, que se dirigem para consolar a Mãe de Deus, a Virgem Dolorosa e Lacrimosa.